*** BEM VINDO! WELCOME! BIENVENIDOS! BENVENUTI! BIENVENUE! WILLKOMMEN! FÁILTE! ***

19 de abril de 2008

Pedras no caminho

"Muitas vezes agimos, nos fechando em nosso próprio mundo, e não reparamos nas pessoas ao nosso redor, nem nos seus esforços para nos alegrar ou não nos deixar faltar o que precisamos. Não percebemos que a vida continua, que as outras pessoas também tem seus próprios problemas e nem por isso deixam de fazer alguma gentileza para alguém ou demonstrar respeito e consideração em alguma situação. Quantas vezes nos são postas novas oportunidades, e as ignoramos, talvez movidos por orgulho, pretensão, medo, ou por estarmos envolvidos numa carga de estresse e preocupação. Quantas vezes retribuímos gentileza com indiferença? Quantas boas amizades já deixamos de lado porque desprezamos o carinho desinteressado que nos é oferecido, julgando que os outros não nos dão valor sincero quando somos nós que não nos damos o devido valor! Quantas vezes Deus tira as pedras de nossos caminhos e nós voltamos a colocá-las, por falta de sabedoria e falta de amor próprio! Mas mesmo quando as pessoas não podem nos ajudar, ou quando nós mesmos não conseguimos nos ajudar, podemos contar com a ajuda de Deus. Ele nos salva de nós mesmos! De nossos traumas, medos, ansiedade, fraquezas, tudo o que nos move a agir de uma maneira que nos prejudica, e nós não conseguimos entender nem nos curar sozinhos. Ele é o grande Doutor, dono da ciência e especialista em fazer o que é impossível aos olhos humanos, e coloca Seus serviços ao nosso dispor em qualquer momento que necessitamos ou clamamos por Ele! Deus tem o poder de curar suas feridas, de te dar um novo coração, de te ajudar a superar o que te prejudicou. Creia nisso! Não se preocupe com resultados instantâneos, não tenha pressa! Deixe Deus te curar completamente e só desfrute o tempo do "tratamento". E se alguma vez você errar em algo, não desanime. Perdoe-se e libere-se para seguir em frente. Tente de novo, tente! Deixe Deus te fazer feliz! Olhe para o que Ele tem feito por você; Ele ainda fará muito mais! Agradeça-O! Abra a portinha do seu mundinho particular e saia para ver quantas coisas boas te esperam! Respire fundo e viva, com responsabilidade!"

8 de abril de 2008

"Decepção..."

Porque nos decepcionamos com uma pessoa, com um acontecimento, com uma situação, com a vida?

A decepção é um sentimento tão frustante, talvez seja das sensações que mais me entristece, me deita abaixo, me impede de continuar, me bloqueia.

Será que criamos expectativas altas demais? Ou será que as expectativas eram normais, próprias e adequadas, mas a decepção teimosamente nos bate à porta?

Será um problema de ansiedade, de querermos que tanto se realize, que tanto aconteça?

Será que somos exigentes demais, e exigimos dos outros, coisas que nem nós próprios sabemos fazer?

Será que uns são mais atreitos a decepções que outros?

Será que uns, nem percebem a decepção não lhe dando a importância que outros lhe dão?

Será que as decepções só acontecem aos emotivos? Aos frágeis? Aos corajosos? Aos exagerados? Aos idiotas?

E acordar depois de uma decepção?

Acordar para a Vida, acordar para o Dia, pôr os pés fora da cama, levantar o corpo, calçar qualquer coisa para começar a pisar o chão, a terra, olharmo-nos no espelho, olhar uns olhos decepcionados,….

E depois, muitas vezes voltar ao mesmo sítio, ao mesmo local, ver a mesma pessoa, ter de falar com essa pessoa, voltar e reencontar o mesmo ambiente, o mesmo cenário…..

Reagir…. Como se faz para Re Agir? Reagir é voltar a agir! Para voltar a agir, é preciso ter vontade de agir. E o mundo que nos rodeia, exigente, que não tolera a insatisfação, não tolera tristezas, que como uma criança mimada, quer-nos Lindos, Contentes, Sorrizinhos, Arranjados, Elegantes, Perfeitos, e todos nos pedem, “Vá reage, faz qualquer coisa, tens de melhorar! Lá estás tu com o teu péssimismo!…”. E para culminar, lá dizem a frase: “Não percebo, porque ficas assim, não é caso para isso!”. E nós, envolvidos num manto negro de tristeza, de amargos na boca, de nós no estomâgo, de dedos das mãos frios, de joelhos ligeiramente a quebrar, ficamos perplexos a olhar para aquela gente que nos diz “Que não é nada!”. Não é nada???! Mas não percebem, que para nós É TUDO!

Que houve uma derrocada de terras, por cima da nossa boca, que houve uma inundação de líquidos salgados, que nos deixou molhados de suores frios, que o nosso coração saltou, mexeu-se, como se de um sismo se tratasse e nos deixou com taquicárdia, que houve um corte a meio dos nossos pulmões, e os pôs a trabalhar em limites mínimos, que sentimos o sangue a parar nas veias e que fomos invadidos por um vento frio e quente, que levantou todas as areias no ar que nos sufocam e nos cegam? Pois, não vêem isto?Faltam as lágrimas? Ah, as lágrimas, as piegas lágrimas, que comovem os outros…..

Mas olhem, os decepcionados não choram por fora, choram por dentro! Choram, choram, choram, até ficar secos, como um solo africano, seco, ressequido, morto….

Deixem-nos enterrar uma decepção, como se de um corpo morto se tratasse, deixem-nos enviuvar, chorar aquilo que nunca acontecerá, que nunca iremos possuir, deixem-nos cair no chão (não nos levantem, por favor!), de pernas e braços abertos deixem-nos gritar, gritar muito para que saiam os espíritos malígnos que nos envenenam, deixem-nos enlouquecer, perder o juízo, falar sózinhos, deixem-nos sair para a rua de robe e chinelos como um velho senil, deixem-nos estar sós, desgrenhados e sem comer, deixem-nos fugir (não vão à nossa procura, por favor!) e se quisermos deixem-nos morrer.

MAS HAVEMOS DE SOBREVIVER! rss

"É muito melhor ousar coisas impossíveis, conquistar triunfos grandiosos, embora com risco de fracassar, do que agir como espíritos medíocres que nem ganham muito nem perdem muito, vivendo num marasmo, não conhecendo vitórias nem derrotas" - Theodore Roosevelt