*** BEM VINDO! WELCOME! BIENVENIDOS! BENVENUTI! BIENVENUE! WILLKOMMEN! FÁILTE! ***

2 de dezembro de 2014



Quando estamos dispostos a seguir novos caminhos,temos que estar conscientes que muitas coisas ficarão para trás ...precisamos desapegar do passado, até mesmos dos velhos hábitos e costumes para que possamos descobrir o novo.Viver sem medo de correr riscos, saindo do caminho habitual vamos enfrentar o desconhecido, outras circunstâncias nos esperam.
Mas não devemos nos acovardar, se assim fizermos viveremos sempre no mesmo, no comodismo por falta de entusiasmo e por deixar medo nos dominar.
Usemos como bússola os nossos sonhos, e assim atingiremos os nossos planos e ideais que queremos alcançar, porque nada maior do que os nossos sonhos para nos impulsionar e nos ajudar a crescer.
Gláucia Silva da Costa


26 de novembro de 2014

"Deus te guarde contra as maldades dos que não tem amor no coração.
Deus te guarde da escuridão que há muito habita o mundo.
Deus te faça sempre em sorrisos.
Deus conforte a tua alma.
Que Deus te abençoe desde o teu despertar até o anoitecer.
Amém."
Vitor Ávila

8 de novembro de 2014

Não é preciso mostrar a beleza aos cegos, nem dizer verdade aos surdos. Basta não mentir para quem te escuta, nem decepcionar os olhos de quem te vê.

9 de outubro de 2014

"Ensinarás a voar ... 
Mas não voarão o teu voo. 
Ensinarás a sonhar ... 
Mas não sonharão o teu sonho.
Ensinarás a viver... 
Mas não viverão a tua vida.
Ensinarás a cantar ...
Mas não cantarão a tua canção.
Ensinarás a pensar...
Mas não pensarão como tu.
Porém, saberás que cada vez que voem, sonhem, vivam, cantem e pensem...
Estará a semente do caminho ensinado e aprendido".


Madre Teresa de Calcutá

14 de agosto de 2014

Triste perda.
Tenho 5! AMO gatos. <3 p="">

"Nos dias de hoje, com tanta tecnologia, com tanta correria, com tanta falta de tempo, com tanto olho no próprio umbigo e nos próprios problemas, com tanta disputa pelo poder, pelo dinheiro, por ter mais e mais, sei lá, acho bonito ver um casal de velhinhos na rua. A mão, enrugadinha, segura a outra mão. A outra mão, por sua vez, segura uma bengala. Falta equilíbrio, sobra experiência. Falta a juventudade, sobra história para contar. Falta uma pele lisa, sobram marcas de expressão que contam segredos. Envelhecer não é feio. Em tempos de botox, a gente devia olhar um pouco para dentro. De si. Do outro. Do amor."
Clarissa Corrêa

3 de julho de 2014

Gatos não morrem jamais!
Gatos não morrem de verdade:
eles apenas se reintegram
no ronronar da eternidade!
Gatos não morrem de fato:
suas almas saem de fininho
atrás de alguma alma de rato!
Gatos não morrem:
sua fictícia morte não passa de...
uma forma mais refinada de preguiça.
Gatos não morrem:
rumam a um nível mais alto que eles,
de galho a galho, sobem numa árvore invisível.
Gatos não morrem:
mais preciso, se somem, é dizer que foram rasgar sofás no paraíso.
E dormirão lá,
depois do ônus de sete bem vividas vidas,
seus sete merecidos sonos...
(Nelson Ascher, in 'Parte Alguma')


https://www.facebook.com/photo.php?fbid=748296625212620&set=a.450770598298559.97924.450769268298692&type=1


8 de junho de 2014

“Ela é rara, moço,
Rara do tipo
Que não se encontra
Perdida por aí,
Rara,
Quando escolhe Jobim
Durante a noite pra ouvir,
Tão rara,
Que com um único sorriso
Também te faz sorrir,
Ela é rara, moço
Do tipo que fica
Até mesmo
Depois de partir.”
__Drummondiano Stanley Menezes

18 de maio de 2014

"Aprendi que Amores eternos podem acabar em uma noite.
Que grandes amigos podem se tornar grandes inimigos.
Que o amor sozinho não tem a força que imaginei.
Que ouvir os outros é o melhor remédio e o pior veneno.
Que a gente nunca conhece uma pessoa de verdade, afinal, gastamos uma vida inteira para conhecer a nós mesmos. 
Que os poucos amigos que te apoiam na queda, são muito mais fortes do que os muitos que te empurram.
Que o "nunca mais" nunca se cumpre, que o "para sempre" sempre acaba. Que minha família com suas mil diferenças, está sempre aqui quando eu preciso.
Que ainda não inventaram nada melhor do que colo de Mãe desde que o mundo é mundo.
Que vou sempre me surpreender, seja com os outros ou comigo.
Que vou cair e levantar milhões de vezes, e ainda não vou ter aprendido TUDO."
__William Shakespeare

22 de abril de 2014

O Milagre da vida


Pode ser que um dia deixemos de nos falar...
Mas, enquanto houver amizade,
Faremos as pazes de novo.
Pode ser que um dia o tempo passe... 
Mas, se a amizade permanecer,
Um de outro se há-de lembrar.
Pode ser que um dia nos afastemos...
Mas, se formos amigos de verdade,
A amizade nos reaproximará.
Pode ser que um dia não mais existamos...
Mas, se ainda sobrar amizade,
Nasceremos de novo, um para o outro.
Pode ser que um dia tudo acabe...
Mas, com a amizade construiremos tudo novamente,
Cada vez de forma diferente.
Sendo único e inesquecível cada momento
Que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.
Há duas formas para viver a sua vida:
Uma é acreditar que não existe milagre.
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.
Albert Einstein

17 de abril de 2014

Na vida você perceberá que existe um propósito em conhecer cada pessoa que você conhece. Alguns testarão você, outros te usarão, e outros te ensinarão. Mas, o que é mais importante, alguns despertarão o que há de melhor em você.

15 de abril de 2014

Deixei de ser aquele que esperava

Deixei de ser aquele que esperava,
Isto é, deixei de ser quem nunca fui...
Entre onda e onda a onda não se cava,
E tudo, em ser conjunto, dura e flui.

A seta treme, pois que, na ampla aljava,

O presente ao futuro cria e inclui.
Se os mares erguem sua fúria brava
É que a futura paz seu rastro obstrui.

Tudo depende do que não existe.
Por isso meu ser mudo se converte
Na própria semelhança, austero e triste.

Nada se explica. Nada me pertence.
E sobre tudo a lua alheia verte
A luz que tudo dissipa e nada vence.


[Fernando Pessoa, Deixei In: Poesias Inéditas]

7 de abril de 2014

Mãos Dadas


Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tão grande, não no
s afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,
não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,
não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,
não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.

O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes,
a vida presente.


[Carlos Drummond de Andrade, Mãos dadas]

31 de março de 2014

O mais que perfeito

Ah, quem me dera ir-me
Contigo agora
Para um horizonte firme
(Comum, embora…)
Ah, quem me dera ir-me!
Ah, quem me dera amar-te
Sem mais ciúmes
De alguém em algum lugar
Que não presumes…
Ah, quem me dera amar-te!
Ah, quem me dera ver-te
Sempre a meu lado
Sem precisar dizer-te
Jamais: cuidado…
Ah, quem me dera ver-te!
Ah, quem me dera ter-te
Como um lugar
Plantado num chão verde
Para eu morar-te
Morar-te até morrer-te…
[Vinícius de Moraes, O mais que perfeito]

18 de março de 2014

Aquele era o tempo
Em que as mãos se fechavam
E nas noites brilhantes as palavras voavam,
E eu via que o céu me nascia dos dedos
E a Ursa Maior eram ferros acesos.
Marinheiros perdidos em portos distantes,
Em bares escondidos,
Em sonhos gigantes.
E a cidade vazia,
Da cor do asfalto,
E alguém me pedia que cantasse mais alto.
Quem me leva os meus fantasmas?
Quem me salva desta espada?
Quem me diz onde é a estrada?
Aquele era o tempo
Em que as sombras se abriam,
Em que homens negavam
O que outros erguiam.
E eu bebia da vida em goles pequenos,
Tropeçava no riso, abraçava venenos.
De costas voltadas não se vê o futuro
Nem o rumo da bala
Nem a falha no muro.
E alguém me gritava
Com voz de profeta
Que o caminho se faz
Entre o alvo e a seta.
Quem leva os meus fantasmas?
Quem me salva desta espada?
Quem me diz onde é a estrada?
Quem leva os meus fantasmas?
De que serve ter o mapa
Se o fim está traçado,
De que serve a terra à vista
Se o barco está parado,
De que serve ter a chave
Se a porta está aberta,
De que servem as palavras
Se a casa está deserta?
[Pedro Abrunhosa, Quem me leva os meus fantasmas]

6 de fevereiro de 2014

Que ninguém implore amor, nem afeto, nem mendigue qualquer sentimento que exige um pedaço do outro. Viver de migalhas, jamais. Soma-se de coisas que te façam bem, ignore qualquer tipo de sentimento que te subtraia. Antes de aprender a amar o outro, amemos a nós primeiro e se for implorar por amor, que seja por amor próprio.